#87 Marta Caride

16 agosto, 2017


Aos 3 anos descobriram que era surda mas nem isso a afastou de ser aluna de mérito e em apenas 2 anos tornar-se campeã nacional de esgrima. Com 15 anos Marta está já a trabalhar para em 2020 erguer o florete e representar Portugal nos Jogos Olímpicos em Tóquio. 

Se este fosse o teu perfil de uma rede social o que escreverias na área 'Sobre ti’? 
Acho que me caraterizaria como uma rapariga normal, com uma boa capacidade de comunicar e de me fazer entender; uma atleta que adora o que faz; estudante que tenta ser bem sucedida. Acima de tudo, uma pessoa que procura sempre encontrar a harmonia entre 3 coisas muito importantes: esgrima + família e amigos + escola - e que tem conseguido! No 'Sobre' da minha página de atleta digo: "A surdez não faz diferença! Esgrima *Sonho Olímpico* BiCampeã Nac Cadetes 2016. Bi Campeã Nacional de Iniciados. Patrocinadores: Balanças Marques/Widex/ANPT."

Dois anos bastaram-te para seres campeã nacional. O florete está sempre apontado à vitória? 
De facto não foi necessário muito tempo para me conseguir tornar numa das melhores de Portugal! A combinação entre o talento natural que me dizem ter com toda a conjuntura desportiva da esgrima em Portugal, que não é muito popular nem abrangente, permitiram-me logo nessa altura chegar ao lugar mais alto do pódio! Claro que, para que esses bons momentos continuem a acontecer, é preciso mais do que talento: trabalho, esforço e dedicação! Tenho conseguido bons resultados quer a nível nacional, quer a nível internacional, e tenho a plena consciência de que 'para o florete continuar a estar apontado à vitória', terei de trabalhar cada vez mais, mais e mais! 
Neste projeto da esgrima - que me leva a pensar nos Jogos Olímpicos -, são essenciais os patrocinadores. Por isso, aproveito para agradecer às Associação Nascidos para Triunfar, às Balanças Marques e à Widex o apoio monetário que tem sido essencial para fazer as provas no estrangeiro e garantir a presença do meu treinador. E aproveito para deixar a nota de que todos os apoios são bem vindos  ficaria muito feliz se conseguisse reunir as condições para participar em todas as provas do circuito mundial, em 2019, com vista a "lutar" pelo apuramento para Tóquio :) 

Quando temos em falta um sentido os outros acabam por ser apurados. Achas que é isso que acontece contigo e que ajuda à concentração em competição? 
Sem dúvida! A ausência da minha capacidade de ouvir (sem aparelhos auditivos) permitiu-me desenvolver, de forma natural, todos os outros sentidos. Sinto que reparo mais nos pormenores e nos movimentos, e que isso me ajuda definitivamente na esgrima! Uso aparelhos auditivos da WIDEX que me fazem sentir plenamente integrada, e que me permitem viver uma vida que considero muito semelhante à das pessoas ouvintes. Claro que o pormenor da concentração e de todas as outras capacidades que adquiri anteriormente permaneceram comigo, motivo pelo qual eu até considero que a surdez trouxe, no geral, um grande bónus à minha vida. 

És aluna de mérito e bicampeã nacional. É preciso 'vontade de aço' para conciliar treinos, aulas e competições? 
Sim, sim e sim! Se não fosse o gosto total pelo que faço, pela área que frequento (Ciências Tecnológicas) e por todo o ambiente competitivo, nunca conseguiria conciliar estes 3 grandes pilares que ocupam a minha rotina diária! O gosto faz com que eu não me importe de abdicar de certas coisas que para outras adolescentes seria impossível, e, melhor ainda, me sinta bem! Claro que tudo se torna mais fácil quando, após o esforço, vemos a recompensa do nosso trabalho  que tem sido o sucesso escolar e na esgrima! 

Representar Portugal traz algum peso adicional ao florete? 
Representar Portugal é sempre uma sensação de orgulho, de concretização. É poder estar rodeada dos melhores atletas de todo o mundo e competir com eles, algo que me deixa extremamente feliz! Acrescem as responsabilidades e dedicação ao desporto pelo simples motivo de sabermos que vamos representar o país e que pretendemos que seja o melhor possível! Já participei em 2 Campeonatos da Europa e 2 Campeonatos do Mundo, bem como em várias Provas do Circuito Internacional e são os melhores momentos da época: pôr em prática a esgrima que desenvolvo —  com o meu treinador Filipe Melo, no Sport Club do Porto —  com pessoas que falam línguas diferentes, têm valores diferentes, têm vidas diferentes, mas que têm algo em comum: o amor pelo desporto! 
Estou muito motivada para a época 2017/2018, o calendário está praticamente definido e, se tudo correr bem, conto participar em provas em vários países, entre os quais a Áustria, Alemanha, França, Hungria, Itália. Vou trabalhar para conseguir mais uma participação no Campeonato da Europa, que se vai realizar na Rússia, em março de 2018. E no Campeonato do Mundo, a decorrer em abril, em Itália!

Tóquio em 2020 está nos teus objetivos?
De certa forma sinto que Tóquio já começou! Estou a trabalhar para conseguir apuramento para os Jogos Olímpicos, ou seja, em 2019 fazer as cerca de 10 provas do circuito internacional e obter a qualificação para participar em 2020. Sim, faz parte dos meus objetivos e será brutal se forem reunidas todas as condições para ir a Tóquio!

Podem encontrá-la aqui: 
100 days of women © 2017