#77 Maria Inês Peixoto

06 agosto, 2017


Tornou-se modelo plus size depois de ganhar um concurso para tamanhos XL organizado pela La Redoute e ficou conhecida do público ao posar nua para a capa da revista Cristina. Maria estudou direito e defende o empowerment de todas as mulheres. 

Se este fosse o teu perfil de uma rede social o que escreverias na área 'Sobre ti’?
Olá, sou a Inês e exercito o meu ego todos os dias. Tenho em mim muitos sonhos mas também muitos medos que desejo ardentemente superar. Acima de tudo sou mãe e amiga. Gosto que confiem em mim e faço tudo para manter a confiança que me depositam. 

A capa da revista Cristina trouxe-te críticas no feminino. As mulheres conseguem ser cruéis?
As mulheres conseguem o que querem sem terem de se esforçar muito...

Nua mas poderosa! Quando aceitaste o convite apercebeste-te das barreiras e tabus que estarias a enfrentar? 
Obrigada! Não me apercebi no imediato, talvez a meio da sessão fotográfica tenha começado a pensar no impacto que teria.

Como é que se lida com a maternidade aos 18 anos? 
Com muito amor pelo ser que aí vem. Eles ajudam a ultrapassar tudo.

A moda e a exposição mediática são ainda recentes para ti. As câmaras assustam?
A moda não é assim tão recente... faço trabalhos desde 2011 (aquando o concurso da La Redoute). A exposição mediática é relativa porque é raro reconhecerem-me na rua. As câmaras não assustam desde que seja para passar a mensagem certa.

A moda plus size tem um mercado exponencial mas os cachets parecem ser de nicho. Viver da moda é impensável? 
Os cachets são  quando existem  muito baixos o que não acompanha o crescimento que tem tido esta vertente da moda, seja em Portugal ou no Mundo. Sob o pretexto de publicidade e divulgação do nome existem grandes situações de abuso. Mas a verdade é que não estão definidos critérios e, até estarem, nada vai mudar. É impensável e impossível viver da moda mas aí seja gordinha ou magrinha. As modelos magras também não têm assim taaanta facilidade em arranjar trabalho. Há muita oferta — ao contrário do plus size. Em Portugal, se fores uma figura pública aí sim, tens muito trabalho e podes viver disso.

Podem encontrá-la aqui: 
100 days of women © 2017