#52 Inês Caleiro

12 julho, 2017


Eleita a melhor aluna do curso de Design de Moda em Londres, Inês foi convidada para trabalhar na Jimmy Choo, a marca de sapatos de luxo idolatrada pelas estrelas de Hollywood. Apaixonada por sapatos criou a Guava onde a cultura e ousadia ganham destaque. 

Se este fosse o teu perfil de uma rede social o que escreverias na área 'Sobre ti’?
Passionate designer, Life addicted & Global explorer. 

Em 2016 ganhaste o Dream Award em Xangai e estiveste nomeada na categoria de melhor guarda roupa no International Film Fest em Londres. A realidade superou o sonho? 
O ano passado começou de uma forma extraordinária. Nunca estamos à espera do que vai acontecer quando viramos a esquina, ou quando arriscamos, e quando sonhamos e arriscamos é maravilhoso deixarmo-nos ser surpreendidos. Sem dúvida, o prémio e a nomeação deixaram-me imensamente feliz e positivamente surpreendida.

Como foi passar seis meses na Jimmy Choo? 
Provavelmente a melhor "escola" que tive. Aprender com um dos grandes “monstros” do calçado, com impacto à escala global, fez-me perceber e absorver o quanto é necessário para que estas grandes “máquinas” funcionem e qual a bomba de oxigênio e a motivação para se trabalhar diariamente construindo algo tão belo. Não há um dia que se pare, e é isso que me motiva e foi isso que aprendi na Jimmy Choo. 

A arquitetura e a geometria são o par ideal para a Guava? 
Sem dúvida, são a essência, a combinação perfeita e o par ideal :) 

És uma beta tester do teu trabalho? 
Considero que sim, especialmente em Portugal. Abri terreno e quebrei muitas barreiras, explorei ferramentas que nenhum fabricante quis explorar antes em Portugal. Acima de tudo sinto que é importante permitirmos a mudança de mentalidades, a resistência não leva este belo país muito longe, e é essa a missão que gosto de ter nas mãos, pois somos nós a nova geração de criativos, engenheiros e empreendedores que vamos permitir fazer o nosso “made in Portugal” chegar mais longe.

O que vamos calçar na próxima estação? 
Tudo o que quisermos :) A moda está cada vez mais única e permite o “user" ser quem quiser, combinando as formas e cores que quiser. Esta é uma era criativa que me está a dar enorme prazer explorar.

Podem encontrá-la aqui: 
100 days of women © 2017