#30 Susana Gomes

20 junho, 2017


Como forma de escape ao trabalho diário, Susana começou a dedicar os finais de dia a aprender a coser cadernos e a desenhar padrões de azulejos para as primeiras capas. Nascia assim o Beija Flor, uma projeto paralelo que foi crescendo e que levou Susana a despedir-se e lançar-se na aventura do empreendedorismo a tempo inteiro. 

Se este fosse o teu perfil de uma qualquer rede social o que escreverias na área 'Sobre ti’?
Fiz batota e fui ver o que tinha escrito (há que tempos) no meu perfil pessoal, da página de Facebook, sobre mim. Encontrei esta descrição: "pequena, chata e teimosa.". Não me parece uma descrição em nada desatualizada, na realidade. Continuo pequena, chata e teimosa, com tudo e todos que me importam. E não vejo esta teimosia como algo negativo, vejo-a como uma espécie de determinação, persistência, no que gosto e, principalmente, no que acredito. 
Se não tivesse um quê de determinação, resiliência, ambição e sonho em mim, não podia ter tomado a decisão que tomei há 3 anos atrás, de despedir-me e lançar-me nesta aventura exigente que é ser trabalhadora independente e gerir uma marca.

O Beija-Flor começa a criar cadernos com padrões de azulejos e de repente 'boom!', temos azulejos estampados em tudo o que é merchandising turístico. A autenticidade da marca ressentiu-se? 
Não. O Beija-Flor começou a explorar esta temática muito antes deste "boom" e, se por um lado há azulejos em tudo quanto é lojinha de souvenirs, por outro lado os produtos que são feitos com cuidado e coerência, como acredito que são feitos os produtos Beija-Flor, continuam a ter o seu público. No ano passado, quando lancei uma nova coleção de postais e envelopes, que inclui padrões de azulejos portugueses, pensei muito se o devia fazer, face ao atual mercado saturado deste tipo de ilustrações, e resolvi arriscar por acreditar que o produto se diferenciava do existente e acrescentava algo mais do que uma simples cópia dos azulejos que encontramos nas ruas do nosso país.

Continuas a coser cadernos à noite na mesa da cozinha?
Já não, tive um upgrade, agora faço-o no escritório ;)

Tens noção de quantos cadernos já coseste até hoje? 
Com muita pena minha não tenho noção exata do valor mas posso garantir que já falamos na casa das unidades de milhar :)

Há colecionadores de Beija-Flor?
Sim, há e é tão, mas tão bom saber disso!

Gostavas de ver o Beija-Flor voar até onde? 
Gostava que o Beija-Flor crescesse ainda mais no mundo do estacionário. Quero muito experimentar novos materiais, novas técnicas, novos produtos, mantendo-me sempre próxima de todo um processo tradicional e de parceiros locais que vou conhecendo. Quero muito também continuar a fomentar as parcerias com ilustradores  que me têm permitido conhecer pessoas super criativas. 
Gostava muito que as pessoas associassem a marca Beija-Flor a uma marca de estacionário portuguesa com qualidade.

Podem encontrá-la aqui: 
100 days of women © 2017