#04 Célia Esteves

25 maio, 2017


Foi a ver a mãe tecer e bordar que Célia ganhou o interesse pelas artes e técnicas tradicionais. Com a GUR, a designer acrescentou-lhes uma pitada de contemporaneidade e o resultado salta à vista nas paredes de casas um pouco por todo o mundo. 

Se este fosse o teu perfil de uma qualquer rede social o que escreverias na área 'Sobre ti’? 
GUR

Levaste o tapete da cozinha para a parede da sala. Renasceu o hábito de pendurarmos tapetes? 
A minha intenção com o projeto era tornar os tapetes típicos portugueses mais divertidos, usando as mesmas técnicas e selecionando os materiais. Continuando a ser fiel ao que sempre foram, tapetes de chão, mas incluindo design e contemporaneidade. Pendurar os tapetes foi algo que se foi tornando cada vez mais comum no desenvolvimento do projeto, as pessoas encaram o objeto como um objeto de autor, um quadro.

Mais do que apresentar um artigo de decoração, a GUR dá ares de galeria de arte onde os artistas querem expor. Já são eles que entram em contacto contigo numa de 'o que achas de fazermos um tapete juntos'? 
Sim, com bastante frequência. Recebo propostas quase todas as semanas, infelizmente não posso aceitar todas as propostas mas já criei alguns GURs assim e novas amizades também.

Já experimentaste fazer algum tapete no tear da tua mãe? 
:-) Não. O tear da minha mãe está arrumado e desmontado há muitos anos, já é mais peça de museu.

O primeiro GUR que veio ao mundo vinha com os olhos bem abertos. Alguma metáfora? 
Podia ser! :-) Os olhos na altura representavam uma marca que eu usava em ilustrações como uma assinatura. Já existia uma relação forte com os olhos antes do GUR. Quando fui convidada para fazer o primeiro GUR que na altura ainda não era GUR, foi imediata a seleção do desenho, que também acabou por ser a imagem da marca.

Os teus tapetes estão a voar literalmente para todo o mundo. Em casa de quem gostavas que estivesse um pendurado? 
Fico feliz por os ver pendurados ou no chão da casa dos meus amigos e família, e dos clientes contentes que partilham imagens do GUR nas suas casas, com os seus filhos e animais. Não há ninguém específico, mas muitos no geral. Que continuem a voar por todo o lado ;-)

Podem encontrá-la aqui: 
Website | Facebook
100 days of women © 2017